Rodrigueiro - Tecelão de Fantasias

Poesias, crônicas e canções num convite ao romantismo e à reflexão.

Meu Diário
19/01/2009 09h30
BRAVA GENTE BRASILEIRA

CONHEÇA LOJA VIRTUAL - AQUI - E SOME O SEU APLAUSO E APOIO!  Grato! 

Publicado por Tecelão de Fantasias em 19/01/2009 às 09h30
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
08/10/2008 19h32
UMA NOVA CANÇÃO

...salve Tom, Vinícius, Lupicínio, Túlio Piva, 
João Nogueira, Gonzaguinha, Chico 
e tantos outros... Perdão meus mestres!!!

Procuro nova canção que transponha barreiras, 
impostas ou não; que não diga besteiras,  tenha preocupação com bemóis, sustenidos e com poemas tingidos de lirismo, de emoções... 
Não quero refrões repetidos, desses que deixam 
doídos os ouvidos e a razão. Vazios de sentido, sem inspiração;  que toque nos lares, nos bares, 
em vários lugares e, principalmente, 
na freqüência sensível do seu coração.
Parece, não vale mais poesia, 
nem rica harmonia, afinação... 
O quê fazer se isso é moda, se pensar incomoda, 
se bom gosto está em extinção?
Se só vale a coreografia, 
"bumbum" agora é quem dá o tom, 
aos deuses poetas eu peço mil vezes perdão.



Publicado por Tecelão de Fantasias em 08/10/2008 às 19h32
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
06/10/2008 22h00
ENSAIO DE LIBERDADE

São quatro horas de um novo hoje.
Um recente agora onde o sono se foi, ficando perfume e saudades espalhados pelo chão, pelo corpo e pela alma, envolvida em reflexões preguiçosas e silenciosas...
Se há alguma possibilidade humana que possa pôr-se ao abrigo da dúvida é a liberdade.No possível tudo é possivel ou nada é impossível. 
É o drama da experiência da liberdade. 
Essa percepção, marca o encontro com a emergência do homem consigo próprio. A ameaça da possibilidade não gera o medo ou temor, que são estados passageiros, mas uma relativa angústia, creio que peculiar na experiência dura do ser.
É por aí que podemos começar nos descobrindo, nos proclamando naquilo que somos, desde a nossa significação mais originária: NADA, só absoluta liberdade!
Esse aprendizado, esse exercício, nos conduzirá à jovialidade da vida, porque estaremos no diálogo, no convívio com a nascente da própria vida, a LIBERDADE.
e assim, pouco a pouco nos conheceremos mais e teremos mais fé, que é a essência do que somos e argumento do que não vemos, fortalecendo e encorajando nossos primeiros ensaios da possibilidade real de LIBERDADE.


Publicado por Tecelão de Fantasias em 06/10/2008 às 22h00
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
04/10/2008 11h49
AGRADECIMENTO

Você prestigiou um artista da sua terra.

A vida ofereceu seus mistérios e paixões.
Fizeram-se crônicas, poesias e canções.

O artista deixa um recado: o ato criador.

É uma entrega lúcida de amor à vida.

É criador e criatura traduzindo em beleza a própria angústia.

Um tradutor da alma a serviço do sentimento para reproduzir a 
sensação dos intantes, eternizando momentos.

Afinal, arte não é patrimônio de ninguém, mas da humanidade.

Já nos dizia Lima Barreto:
"Verdadeiros artistas, são aqueles que sempre souberam morrer de fome 
sem rebaixarem a sua arte para o simples prazer dos ricos."

Muito obrigado!

A. Rodrigueiro - Tecelão de Fantasias


Publicado por Tecelão de Fantasias em 04/10/2008 às 11h49
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
02/10/2008 18h56
PRETENSÃO

PRETENSÃO

Preencher a amplidão dos espaços vazios, quando o anseio da mais pura ternura e o calor sincero de um abraço parece, ao menos por hora, imprescindível à criatura é pretensão. Mas o que importa ao poeta, senão a liberdade quase completa, da expressão da sua loucura? 
A inspiração vai parindo canções e versos, povoando de amores os universos numa fração de segundos, eternizando o momento. Ao findar do gestar fantasias, se pode ver um novo mundo, mais rico de poesias... nos seres, esperança de melhores dias e a coragem de realizar os sonhos. 
Tranformar cotidianos tristonhos em realidades repletas de alegrias mais puras, talvez, uma pretensão ou a louca missão dos poetas, por vezes, imprescindível às criaturas.


Publicado por Tecelão de Fantasias em 02/10/2008 às 18h56
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 2 de 2 1 2 [«anterior]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras